GLÚTEN, COMER OU NÃO COMER?

Hoje em dia fala-se muito em alimentação Glúten Free, e ai fica a dúvida, essa alimentação é apenas para as pessoas que tem Doença Celíaca, ou não? Será tudo mídia?

gluten free

Trigo, milho e arroz são os grãos de alimentos mais consumidos no mundo. O trigo, em especial,  tem seu consumo aumentado, após a transformação em pão ou outros produtos de panificação, macarrão, massas, dentre outros.

O glúten é a principal proteína do Trigo. Ele também está presente na aveia e na cevada. O trigo possui proteínas formadoras de glúten, que são a Glutenina e a Gliadina, que representam 80% do  trigo. Os outros 20% são proteínas de reserva, prolina e glutamina, que são aminoácidos essenciais, ou seja, que não são produzidos pelo nosso organismo, devendo ser ingerido na alimentação. Daí a importância para a nutrição humana.

É sabido que a glutenina conferem viscosidade e elasticidade, enquanto que a gliadina são responsáveis pela extensibilidade da massa do pão. Sabendo desse fator, atualmente a indústria produz um Trigo diferente do trigo que era produzido na época dos nossos avós, esse novo trigo possui uma alta “força de glúten” no intuito de fazer pães  e massas mais bonitas. Esse advento da agricultura propiciou condições para doenças humanas relacionadas à exposição ao glúten, dentre elas a mais famosa é a Doença Celíaca, que é uma doença autoimune, onde o organismo não tolera a presença de glúten. Tal patologia se expressa com a enteropatia, inflamação da mucosa do intestino, acarretando um atrofiamento das vilosidades do intestino, mediada  por linfócitos T em indivíduos geneticamente predispostos.

Assim,  ainda considerando, as propriedades funcionais das proteínas do trigo, que dão o “ponto” aos pães , entra o contexto de que tais estruturas ao iniciarem o processo de digestão, passando pelo intestino, formam uma espécie de viscosidade, o que vai prejudicar a absorção de muitos nutrientes, tais como vitaminas e minerais como: vitamina C, complexo B, zinco e cobre, que fazem a defesa do corpo contra doenças.

Diante desse fato, fica claro que a presença do Glúten no nosso organismo além de diminuir a nossa imunidade, nos torna favoráveis a adquirir outras doenças.

E ai, vamos começar a diminuir o glúten da nossa alimentação?? Procure um Nutricionista para fazer adequar sua dieta e fazer refeições variadas sem glúten ou com redução do Glúten!

manu com foto

Referencias:

Ministério da Agricultura. Embrapa. TORRES, G.AM; SIMIONI,A; GAMBIM, E; TOMAZIN, T. Proteínas de reserva do trigo. Dez, 2009.

TEXEIRA, N.F.G;  Doença Celíaca Atualizada. Covilhã, Maio de 2012. [tese]

ampla disponibilidade de farinha de trigo e as propriedades funcionais de proteínas

do glúten proporcionam os fundamentos para a sua ampla utilização como um ingrediente no processamento de alimentos.

Anúncios

Tags:, , , ,

Categorias: Sem categoria

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: